Comer bem no trabalho é possível. Saiba como melhorar sua alimentação!

Com a rotina atribulada dos dias de hoje, comer bem no trabalho acaba ficando para trás e muitas vezes as refeições não são realizadas de maneira adequada. Por isso, entre uma tarefa e outra, é importante ingerir lanchinhos saudáveis. A nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi, aconselha levar de lanches e frutas que não precisem de muita manipulação, como ameixa, maçã, banana, pera, tangerina, caqui e damasco. “Outras opções são as castanhas, amêndoas e nozes, barras de cereais com baixo valor calórico e maior quantidade de fibras, além de frutas secas e biscoitos integrais”, indica a profissional.

Cintya também alerta para alguns alimentos que devem ser evitados por conterem excesso de calorias, açúcares, sódio e gordura trans, como doces, salgadinhos, frituras, biscoitos recheados e refrigerantes. “Uma boa alternativa para aqueles momentos de cansaço no meio da tarde é comer uma barra de 30 g de chocolate meio amargo, porque ele tem menos gordura e mais cacau, o que aumenta a concentração de componentes benéficos à saúde cardiovascular, além de dar energia”, explica.

Caso a empresa em que trabalhe ofereça a opção de levar o almoço, inclua uma alimentação balanceada com todas as fontes de nutrientes em quantidades adequadas. “Prefira carboidratos complexos, como arroz integral. Para fornecer vitaminas e minerais, não podem faltar frutas e hortaliças. Grãos integrais, como linhaça e quinoa são fontes de fibras e vão bem com saladas. Gorduras moderadas e de boa qualidade, como óleos e azeite, também são importantes”, comenta a especialista. Ainda, é preciso ter fontes proteicas presentes em carnes magras e grãos, como feijão, soja, lentilha e grão-de-bico.

Se não tiver tempo de preparar a comida em casa e levar marmita ao trabalho, ou não houver um ambiente apropriado para se alimentar na empresa, saiba escolher de forma saudável onde e o que almoçar. “Nos almoços durante a semana é comum optarmos pelo quilo, por ser mais prático. Porém, é preciso observar e pensar antes de montar o prato. Comece preenchendo com saladas e legumes, evite molhos brancos, e dê preferência ao simples e clássico, como arroz integral, feijão e frango grelhado”, finaliza.

Coisas que Você Precisa Saber Sobre o cigarro

Fumar pode reduzir a expectativa de vida em até 20 anos

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), fumar (tabagismo) é a principal causa de morte evitável no mundo. Dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer) mostram que 10% dos fumantes reduzem a própria expectativa de vida em até 20 anos.

O consumo de derivados do tabaco causa cerca de 50 tipos de doença, principalmente as cardiovasculares (infarto, angina), o câncer e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite). Estas são as principais causas de óbitos por doença no Brasil, sendo que o câncer de pulmão é a primeira causa de morte por câncer.

Além disso, o tabagismo causa impotência sexual no homem e, no caso das mulheres, complicações na gravidez. Fumar também provoca aneurismas arteriais; úlcera do aparelho digestivo; infecções respiratórias; osteoporose; trombose vascular; problemas respiratórios e redução do desempenho desportivo.

Fumar pode prejudicar a pele

Segundo especialistas, o hábito de fumar enfraquece o cabelo e faz secar a pele, reduz o paladar e o olfato. Além do envelhecimento precoce da pele, devido à falta de oxigenação, o tabaco também inibe a produção de colágeno e elastina, que impedem a flacidez.

Outro fator extremamente de risco é o cigarro para as mulheres, pois, devido às peculiaridades próprias do gênero, como a gestação e o uso da pílula anticoncepcional, a mulher fumante tem um risco maior de infertilidade, câncer de colo de útero, menopausa precoce (em média 2 anos antes) e dismenorreia (sangramento irregular).

Fumar causa danos até para os quem não fumam

O tabaco é prejudicial também para quem se encontra junto do fumante. Além do desconforto, o fumo causa doenças imediatas e a longo prazo. O risco de doença cardíaca aumenta em 25% num adulto exposto ao fumo passivo.

O tabagismo passivo é a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, perdendo somente para o tabagismo ativo e para o consumo excessivo de álcool. Fumantes passivos também sofrem os efeitos imediatos como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaleia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias e aumento dos problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e angina (dor no peito).

Outros efeitos, a médio e longo prazo, são a redução da capacidade funcional respiratória (o quanto o pulmão é capaz de exercer a sua função), aumento do risco de ter aterosclerose e aumento do número de infecções respiratórias em crianças. A convivência com um fumante aumenta o risco de doenças cardíacas coronarianas em 25% a 30%.

As pessoas com doenças cardíacas podem sofrer arritmias, diante da exposição à fumaça do cigarro. O risco de infarto do miocárdio também aumenta.

O tabagismo passivo é especialmente perigoso na gravidez, podendo prejudicar o crescimento do feto e aumentar o risco de complicações durante a gravidez e o parto, tais como a morte fetal, o parto prematuro e o baixo peso ao nascer.

Os recém-nascidos e as crianças pequenas também são muito prejudicados. As crianças expostas à fumaça do cigarro têm maior risco de morte súbita, bronquite, pneumonia, asma, exacerbações da asma e infecções de ouvido.

Reflexos no corpo ao parar de fumar

O risco de doenças diminui gradativamente e o organismo do ex-fumante se restabelece. Após 20 minutos do último cigarro, a pressão sanguínea diminui, as batidas cardíacas voltam ao normal e a pulsação cai. Após 8 horas sem cigarro, o nível de oxigênio no sangue pode chegar aos níveis de uma pessoa não-fumante.

Após 24 horas, os pulmões já conseguem eliminar o muco e os resíduos da fumaça. Dois dias depois, é possível sentir melhor o cheiro e o gosto das coisas. O corpo já não possui nicotina e a transpiração deixa de cheirar a tabaco. Após duas semanas, melhora a circulação, tosse, congestão nasal, fadiga e falta de ar. Após um ano, o risco de doença cardíaca cai pela metade. Após 5 anos, o risco de ter câncer de pulmão também reduz 50%. Após 15 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao de uma pessoa que nunca fumou.

Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Saiba como se livrar da caspa

Além de provocar coceiras, a caspa pode ficar visível nas roupas de forma constrangedora, pois a imagem da caspa é muitas vezes associada à má higiene ou falta de cuidado. A caspa é o nome popular para dermatite seborreica, uma inflamação na pele que causa descamação e vermelhidão. Também ocorre com maior frequente em homens e em pessoas com pele oleosa, acne ou psoríase.

As causas exatas nem sempre são conhecidas, mas vale lembrar que a dermatite seborreica não é contagiosa nem uma doença causada por falta de higiene. A caspa pode aparecer devido a um problema de saúde ou uma combinação de vários fatores, como:

  • Tendência individual (tipo de pele)
  • Estresse
  • Um fungo que vive normalmente na pele
  • Certas condições médicas e medicamentos
  • Alterações hormonais
  • Tempo frio e seco
  • Mudanças bruscas de temperatura

Além do couro cabeludo, a dermatite seborreia também pode aparecer em outras regiões do corpo, como: sobrancelhas, barba, na região do nariz, atrás e dentro das orelhas, no peito, nas costas e nas dobras de pele (axilas, virilhas e debaixo dos seios).

A dermatite seborreica exige tratamento e cuidados especiais. Por conta disso, é muito importante consultar um dermatologista. Ao utilizar medicamentos e cosméticos, busque sempre a orientação de um farmacêutico para garantir o uso correto do produto.

Entre as principais formas de prevenção da dermatite seborreica estão:

  • Controle o seu nível de ansiedade e estresse físico
  • Evite a ingestão de alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas
  • Não tome banhos muito quentes e enxugue-se bem antes de se vestir
  • Quando lavar a cabeça, enxague bem para retirar todo o xampu e o condicionador dos fios
  • Nos bebês, passe óleo mineral na cabeça antes de remover a crosta láctea. Troque as fraldas com frequência para evitar o contato da pele da criança com a umidade.

Um dos principais cuidados para quem tem caspa é o de reforçar a higiene. É fundamental lavar o cabelo periodicamente, pois a higienização capilar é realmente muito importante. A lavagem contribui muito para a remoção de agentes poluidores como poeira e elimina a oleosidade excessiva

Fonte: Beleza e Saúde

O que é um dermocosmético?

Com o avanço das tecnologias empregadas na indústria da beleza e o avanço de produtos cosméticos e farmacêuticos, a exigência por produtos mais eficazes, com diferenciais e que tenham efeitos prolongados no cuidado com a pele e cabelos só aumenta.

Um dermocosmético é um produto intermediário entre um item de beleza (cosmético) e um medicamento mais específico, e tem como principal objetivo proporcionar melhorias visíveis e estruturais à saúde da pele. As substâncias que caracterizam os dermocosméticos podem ser aplicadas em diversas categorias, desde cremes e loções para a pele, maquiagens e protetores solares, até itens para tratamento de cabelos, por exemplo. Para ser classificado como tal, um produto precisa ser aprovado em testes e comprovações clínicas que garantam sua ação terapêutica.

Esse tipo de cosmético não possui componentes como perfumes, conservantes e corantes, diminuindo as chances de causar irritações e alergias na pele. Uma das principais características dos dermocosméticos em relação aos cosméticos comuns é que os dermocosméticos agem nas camadas mais profundas da pele, melhorando a sua aparência. Os cosméticos comuns agem apenas superficialmente.

Os preços dos dermocosméticos costumam ser mais caros que os cosméticos, porque envolvem a produção de ativos, pesquisas científicas aprofundadas e estudos que comprovam seus resultados, ou seja, é um processo complexo de desenvolvimento e produção, que exige um gasto financeiro que impacta no preço final do produto.

Fonte: Hypermarcas Skincare

Vista cansada pode ser consequência da idade

Com o passar do tempo, as chances de problemas de visão aumentam em grande escala. Você deve reparar que, por volta dos 40 anos de idade, muitas pessoas, tanto homens quanto mulheres, começam a esticar os braços para conseguir enxergar. Essa é a chamada presbiopia, popularmente conhecida como vista cansada.

Nosso olho funciona como uma máquina fotográfica. Quando apertamos o botão das máquinas modernas, automaticamente, vemos no visor o ajuste perfeito da imagem. É o ajuste do foco. Nossos olhos possuem lentes naturais e músculos capazes de promover o foco da imagem em milésimos. Este processo é chamado “acomodação”. Ao redor dos 40 anos começamos a perder gradual e naturalmente nosso potencial de acomodação e, como consequência disso, a visão para perto começa a piorar.

Veja a seguir algumas dicas que podem melhorar a saúde dos olhos:

– Coma bem e se exercite – Problemas como diabetes e hipertensão influenciam na saúde dos olhos e podem acarretar problemas na visão. Estima-se que entre 5% e 8% dos pacientes cegos no mundo são em decorrência de retinopatia diabética.

– Descanse a visão – Quando lemos ou usamos o computador por muito tempo, o olho fica sobrecarregado, porque, por estarmos concentrados, o ritmo de piscadas diminui, o que acaba agredindo a saúde ocular.

– Use óculos de sol – A luz solar pode ser muito danosa para o olho humano. Doenças muito sérias como catarata e degenerescência macular estão ligadas à exposição ao sol. Portanto, proteja-se e utilize os óculos de sol. É importante lembrar que não adianta somente ter a lente escura se não tiver proteção contra raios UV.

– Vá ao oftalmologista – Depois dos 40 anos, as visitas ao especialista devem ser mais frequentes. A recomendação é ir ao especialista a cada dois anos para fazer um check-up completo de toda a saúde do olho.

– Cuidado com as lentes de contato – A recomendação é seguir as dicas do oftalmologista e evitar dormir com as lentes, além de exposições ambientais agressivas. Caso surjam fenômenos de olho vermelho e desconforto, é essencial retirar imediatamente o produto da vista.

Tome cuidado com a sua vista e previna qualquer susto relacionado a visão! Quanto mais você cuidar, menores as chances de vista cansada você terá!

Fonte: Centro Capixaba dos Olhos

Cuidar da pele do rosto mantém a saúde da barba

Os cuidados com a aparência do homem estão cada vez mais presentes no nosso cotidiano. Quando falamos em saúde da barba, cada vez mais homens optam pela aparência, seja ela curta ou mais no estilo “lenhador”. Para manter a pele do rosto saudável é preciso tomar alguns cuidados diários. Fatores como agentes poluentes e alterações climáticas prejudicam a saúde da pele e, consequentemente, o aspecto da barba.

Além disso, processos do dia a dia, como se barbear, por exemplo, podem ser bastante prejudiciais à pele masculina, pois agride diretamente a epiderme. Confira dicas simples para manter a pele hidratada e não errar na hora de se barbear.

Cuidado com a lâmina ao fazer a barba

Manter a lâmina em boas condições de higiene é fundamental para evitar a contaminação e a proliferação de microorganismos, que podem causar inflamações na pele. Além disso, não é recomendado utilizar o aparelho várias vezes, pois uma lâmina sem um bom corte aumenta o risco de lesões na pele e dificulta a remoção dos pelos.

Melhor hora para fazer a barba

Uma boa hora para se barbear é após o banho, pois a pele já está limpa e a água morna ajuda na dilatação dos poros, facilitando o trabalho da lâmina. É importante evitar o uso da lâmina em regiões com acne ou alguma inflamação. Também não é indicado pressionar a gilete muito forte contra o rosto, pois, além de remover os pelos, ela também retira parte da camada mais superficial da pele, o que influencia diretamente no processo de desidratação.

Cuidados após o barbear

Apesar de muitos homens pularem esta etapa, ela é parte importante do processo, pois ajuda na diminuição do tamanho dos poros e na hidratação da epiderme, contribuindo para a boa saúde da pele e proporcionando um melhor aspecto para a saúde da barba. Sempre utilize produtos indicados para o seu tipo de pele para ter melhores resultados.

Para os homens que deixam a barba crescer, o ideal é lavá-la diariamente com xampu e condicionador para evitar a proliferação de bactérias e o ressecamento da pele na região dos pelos. Penteá-los e usar o secador com o ar frio/morno deixa o visual dos fios mais alinhado e bonito.

Fonte: Minha Vida

Veja mitos e verdades sobre a azia

A azia é um dos sintomas gastrointestinais mais sentidos pelos brasileiros. A queimação e a irritação no estômago são originados por diversas causas. Por conta disso, a gerente médica da GSK Brasil, Ana Santoro, listou seis mitos e verdades sobre azia e má digestão.

Tomar leite combate azia e queimação no estômagoMITO

Segundo Ana, o leite contém grande quantidade do ácido secretado pelo nosso organismo. Porém, depois que o estômago esvazia, o ácido gástrico que ainda é produzido não é capaz de ser reduzido. Isso faz com que o pH do estômago diminua, contribuindo para a ocorrência de azia e queimação.

Fumar afeta o estômago e agrava o quadro de azia – VERDADE

A médica explica que o hábito de fumar compromete a capacidade do estômago de neutralizar ácidos após uma refeição, o que acaba permitindo que o ácido produzido pelo organismo e proveniente dos alimentos ingeridos ataque o revestimento estomacal de forma mais agressiva.

Corrigir a postura pode evitar azia antes de dormir – VERDADE

“O refluxo ocorre quando o ácido gástrico ultrapassa o esfíncter esofágico e reflui para o esôfago, provocando sensação de dor e/ou desconforto, conhecido como azia”, explica a especialista. Caso a pessoa esteja com esse sintoma, além de evitar comidas pesadas à noite, elevar a cabeceira da cama cerca de 15cm pode ajudar a contê-lo.

Praticar exercícios combate má digestão – MITO

De acordo com a médica, embora não haja comprovação científica sobre este fato, sabemos que exercícios de longa duração podem provocar sintomas no trato intestinal, entre eles azia. “O ideal é ingerir, com moderação, gorduras e proteínas e privilegiar uma dieta rica em fibras e soluções hipertônicas de carboidratos antes da prática de exercícios, reduzindo assim os sintomas gastrointestinais”, ressalta.

Jejum estimula vasoconstrição e gera azia – VERDADE

A literatura sobre o assunto sugere que a redução do número de refeições e a perda das reservas hepáticas de glicogênio – substância utilizada pelo organismo como fonte energética – resultam na liberação de serotonina e epinefrina (adrenalina), o que pode causar alterações vasculares e gerar azia e dor de cabeça. Liberação de hormônios do estresse e hipoglicemia também estão envolvidos nesse processo.

O sintoma da azia desaparece sozinho – MITO

De acordo com a médica, boa parte dos brasileiros prefer esperar os sintomas de azia e má digestão desaparecerem sozinhos a buscar um tratamento adequado. “Esse hábito prejudicial à saúde pode acarretar dor torácica não cardíaca, tosse noturna crônica e dor de garganta. Uma das indicações é o uso de medicamentos antiácidos de rápida ação”, explica Ana Santoro.

Qual a diferença entre colesterol bom e ruim?

Colesterol é uma substância gordurosa encontrada naturalmente no corpo. Ele tem o papel vital de manter cada célula funcionado adequadamente, mas o acúmulo de colesterol no sangue pode aumentar o risco de doenças do coração.

Apesar de ser conhecido como o inimigo do organismo e da saúde, o colesterol pode também ser visto de forma positiva, pois ele é o responsável por todas as membranas que envolvem as células do corpo e ajuda nos processos de metabolismo. Além disso, o colesterol auxilia na produção dos hormônios sexuais e do cortisol.

Basicamente, existem 2 tipos de colesterol, o bom – HDL e o colesterol ruim – LDL. A diferença consiste entre eles consiste em:

  • Lipoproteína de alta-densidade (HDL) é boa para o seu coração. Ela carrega colesterol das suas artérias para o seu fígado, onde é eliminado.
  • Lipoproteína de baixa-densidade (LDL) é perigoso, pois leva ao acúmulo de placas de gordura nas paredes internas das artérias, diminuindo o fluxo de sangue para órgãos importantes, como o coração e cérebro, podendo levar ao aparecimento de doenças cardiovasculares como infarto e derrame, por exemplo.

Além de ajudar a eliminar o excesso de colesterol ruim no organismo, existem alguns alimentos que colaboram para aumentar os níveis do bom. Confira quais são e inclua-os no cardápio: rarelo de aveia, berinjela, salmão (rico em Ômega 3), azeite, morango e abacate.

Para manter os níveis de colesterol adequados é importante uma alimentação saudável, pobre em gorduras e em açúcar, e evitar a vida sedentária, praticando exercícios físicos de forma regular.

Fonte: Tua Saúde

Qual o tempo ideal para amamentar?

A maioria das mamães, principalmente as de primeira viagem, fica em dúvida quanto ao tempo que se deve amamentar os bebês. Muitas acreditam que se deva deixar até o pequeno não pedir mais, mas Segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde, o tempo ideal de amamentação exclusiva é seis meses.

De acordo com a nutricionista Márcia Loureiro, da Life Clínica, após esse período, a mãe deve continuar oferecendo o leite materno junto com a alimentação complementar. “A introdução de outros alimentos, aos poucos, tende a diminuir as mamadas, mas elas podem e devem se estender até pelo menos os dois anos de idade”, explica a especialista.

A nutricionista afirma que o leite materno é o alimento mais completo para o bebê, devido às vitaminas, proteínas, gorduras, ferro, sais, cálcio e fósforo, entre outras substâncias, além de anticorpos e glóbulos brancos, sendo essencial para o desenvolvimento da criança e proteção contra doenças. “A amamentação traz uma forte ligação entra a mãe e o bebê, pois dá segurança à criança, promove flexibilidade nas articulações da mandíbula, dentição e músculos da face, facilitando e estimulando a fala e a respiração, sem falar que é de fácil digestão”, diz.

Amamentar também é benéfico para a mãe

E não é só o bebê que tem benefícios com a amamentação. Segundo Márcia, a mãe também tem vantagens ao amamentar, como por exemplo, queima de calorias, conseguindo voltar mais rápido ao peso. Além disso, o leite está sempre pronto, sem precisar de local para esquentar, mamadeiras, sem falar na proteção contra a osteoporose.

Para a doutora, uma das principais preocupações das mamães é não ter leite o suficiente, mas a especialista explica que isso é um mito, e que toda mulher possui leite para amamentar o filho. “Toda mãe tem leite. O que pode ocorrer é a falta de estímulo ou sucção ou um trauma psicológico, que pode diminuir ou bloquear a produção do leite. Para reverter este problema, nada melhor do que o estímulo do próprio bebê: ver se está na posição correta, se a boquinha está se adaptando às mamas e se não estiver, corrigir. A mamãe deve star bem relaxada, tranquila e deve ingerir bastante água”.

A recomendação é nunca substituir o leite materno pelo leite integral. Segundo Márcia, o médico deve prescrever fórmulas infantis para o seu bebê, pois esses leites industrializados têm muita proteína e sódio, o que pode prejudicar os rins do recém-nascido. Além disso, esses produtos possuem poucas vitaminas, ferro e ácidos graxos, essenciais para o desenvolvimento do bebê.

Inclua outros alimentos a partir dos 6 meses de idade

A partir dos seis meses de idade deve-se incluir outros alimentos para complementar a carga de nutrientes que o bebê precisa, afirma Márcia. “Nessa fase, as frutas devem ser as primeiras a serem introduzidas, em forma de papinhas, sucos, amassadinhas ou até dar a fruta para eles chuparem. Vale ressaltar que as frutas já possuem o seu açúcar natural, então nunca coloque mel ou açúcar para deixar ela mais docinha. O paladar do bebê não é formado, então ele não sabe se pode ser mais doce ou menos doce, pois nunca experimentou”, explica a especialista.

Segundo ela, não há restrição sobre quais frutas oferecer à criança, mas muitos evitam a acidez. “O ideal são as frutas frescas e é interessante sempre variar. A mãe não deve ficar restrita a três ou quatro tipos e aproveitar para oferecer as variedades e ver se o paladar da criança se adapta. Uma dica importante é não oferecer as frutas misturadas como salada de frutas. No início, é imprescindível que a criança sinta apenas um gosto por vez para ir “memorizando” e trabalhando o paladar”, recomenda Márcia.

Preparação para amamentação deve ser feita durante a gravidez

Preparação para amamentação deve ser feita durante a gravidez

Amamentar é um ato de amor e a mamãe pode se preparar para esse momento ainda durante a gestação. Durante a gravidez, a glândula mamária da gestante prepara-se naturalmente para a amamentação, pois os ductos mamários desenvolvem-se e os seios crescem.

Existem técnicas que ajudam a fortalecer o bico do seio e estimulam as glândulas mamárias, tudo para evitar problemas na hora da amamentação. Além disso, com indicação médica, massagens também ajudam a preparar o bico do peito, pois evita rachaduras e facilitam a “pega” correta do bebê.

O ideal é fazer a higienização do seio durante o banho. Existem cremes e pomadas para o bico do seio que podem ser utilizados sob orientação médica e de um farmacêutico. Eles ajudam a cicatrizar rachaduras e hidratar o local.

Ainda durante a gestação, informe-se com seu médico sobre todos os procedimentos e cuidados. Quando o bebê nascer, procure colocá-lo na posição correta para amamentação, isso diminui as chances de ocorrer desconfortos e dores.

Após as mamadas, não lave os bicos com sabonete. Seque-os sem esfregar e deixe-os terminar de secar naturalmente (fora do sutiã). Uma dica é que você hidrate os bicos do seio com o seu próprio leite antes e depois de cada mamada.

Veja alguns benefícios da amamentação

Benefícios para a mãe Benefícios para o bebê
Combate a hemorragia pós-parto e acelera a recuperação da mulher Previne doenças e diminui a taxa de mortalidade do bebê
Facilita a perda de peso Diminui as chances do bebê ter alergias
Diminui o risco de câncer de mama, endométrio e de ovário Diminui a cólica dos primeiros meses
Acalma o bebê
Diminui o risco de desenvolver diabetes tipo 2 na mãe O leite está na temperatura correta e por isso não há perigo de queimar o bebê
Não é necessário esterilizar nenhum utensílio e por isso pode acontecer em qualquer local Diminui o risco do bebê ter doenças mentais

 

Fonte: Tua Saúde